quinta-feira, 17 de maio de 2012

CAPS Sarandi comemora dia de Luta


O Centro de Atenção Psicossocial de Sarandi, (CAPS) comemora na sexta-feira (18) o dia de Luta Antimanicomial.  O dia vai ser lembrado com os usuários do centro a partir das 8h30m, na Rua José Munhoz, 460, centro. Haverá exposição de trabalhos, atividades recreativas e palestras.
    O movimento começou a mais de 20 anos no Brasil, e busca uma reforma psiquiátrica para humanizar o tratamento das pessoas com doenças mentais, eliminando de vez as prisões manicomiais. O objetivo principal é fazer com que os doentes voltem para a família e para o convívio social.
   Em Sarandi o CAPS atende 300 usuários que freqüentam o centro três vezes por semana. É um programa do Governo Federal em parceria com o município, que foi criado em 2006. Segundo a psicóloga Mariana Suzuki, apesar de ter sido criado há seis anos o centro começou mesmo a funcionar neste ano, o projeto do CAPS é romper com o preconceito do qual as pessoas vítimas de transtornos mentais sofrem perante a sociedade e à própria família.
 Para a Psicóloga Mariana, Sarandi está evoluindo no tratamento dos doentes mentais. “Agora estamos fazendo com que o CAPS cumpra de fato sua função, temos muitos desafios pela frente, mas estamos avançando, já temos usuários que estão trabalhando e convivendo com a sociedade. Agora com o projeto de especificidade da Secretaria de Saúde do município, comandado pela psicóloga Cibeli Baianski, estamos mapeando os casos de doenças mentais na cidade. Estamos traçando um perfil para sabermos que tipo de doentes nos temos aqui e onde eles estão. Também estamos orientando os agentes do Programa Saúde da Família a identificar e encaminhar os casos de doenças mentais aos locais específicos. Até pouco tempo nem mesmo as unidades de saúde sabiam exatamente o que fazer com estes doentes. Hoje sabemos como proceder. Pouco apouco estamos conquistando o espaço que precisamos para conseguirmos um CAPS especifico para que possamos atender dependentes de drogas e de álcool aqui em Sarandi, mas antes precisamos cumprir todas as etapas do centro que temos aqui, e só depois projetarmos este novo centro, com o apoio de nossos gestores,”esclarece Mariana.
 O CAPS II atende pessoas com problemas de psicose, neurose, depressão profunda, entre outros casos. Para ter este atendimento a pessoa tem que ser encaminhada por alguma unidade de saúde do município, pelos agentes comunitários do Programa Saúde da Família. Além do acompanhamento de uma equipe de dois psicólogos, uma enfermeira, duas assistentes sociais, uma artesã as pessoas atendidas participam durante todo o dia de oficinas terapêuticas, pintura em tela, atividades lúdicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário