quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Viapar confirma em seu site que construção do contorno de Mandaguari começa nesta quinta-feira (10)

Um dos principais gargalos rodoviários do norte do Paraná começa a ser equacionado. A concessionária VIAPAR informou oficialmente que inicia na próxima quinta-feira, dia 10, pela manhã, a construção do contorno de Mandaguari. A obra, uma antiga aspiração do município e dos usuários da BR-376, vai começar no quilômetro 210,7 daquela rodovia - cerca de 2 quilômetros após a praça de pedágio da empresa -, no sentido Maringá-Mandaguari.
O trajeto, com extensão de 9,9 quilômetros de pista duplicada, ficará conectado pela região sul do município ao quilômetro 203, próximo a Jandaia do Sul. O prazo para conclusão dos trabalhos vai depender da desapropriação de toda a área - o que ainda está sendo feito pelo governo do Estado. O investimento estimado é de cerca de R$ 85 milhões. O governador Beto Richa confirmou presença em um evento programado para naquela data, às 10h, no local.
Segundo o superintendente regional do DER em Maringá, Osmar Lopes Ferreira, o governo deve desapropriar 47 lotes, dos quais 28 estão com a documentação encaminhada. De acordo com Ferreira, o governo do Estado calcula investir cerca de R$ 4 milhões nas desapropriações, indenizando 32 proprietários. As obras serão iniciadas sem que toda a área do contorno tenha sido entregue livre e desimpedida à concessionária.
Originalmente, o cronograma de obras do programa estadual de concessão rodoviária previa que o contorno deveria ter ficado pronto em 2008, mas o governo anterior, em litígio com as concessionárias, recusou-se a desapropriar os terrenos. Somente em junho do ano passado é que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) tornou a área destinada ao contorno como espaço de utilidade pública. Com isso, o governo estadual ganhou autonomia para desapropriar os terrenos.
A expectativa é que um dos maiores pesadelos para a população de Mandaguari seja superado em breve. Atualmente, ruas centrais da cidade recebem todo o tráfego da BR-376, gerando transtornos, barulho, poluição e perigos para a população. Por sua vez, quem utiliza a rodovia reclama de atraso nas viagens e de maior risco de acidentes ao trafegar por vias urbanas.
De acordo com a VIAPAR, a limpeza no lugar por onde a obra vai iniciar está sendo feita a partir desta quarta-feira (3/11) e o projeto contempla a construção de quatro viadutos (dois rodoviários e dois ferroviários), cinco passagens em nível para o trânsito de máquinas agrícolas e quatro retornos em nível. A previsão da empresa é que sejam construídos 1,4 mil metros lineares de bueiros e 18 mil metros de canaletas para captação de águas da chuva. “Vamos usar 60 mil toneladas de massa asfáltica e fazer 2 milhões de metros cúbicos de escavações”, comenta o presidente da concessionária, Marcelo Machado. Segundo ele, a empresa aguardava com expectativa o fim do dilema envolvendo o contorno de Mandaguari. “Esperamos que, agora, possamos executar essa obra sem maiores dificuldades.”
A VIAPAR responde pela administração e a operação de 546,5 quilômetros de rodovias (um trecho em forma de “Y”, centralizado em Maringá, que compreende as rodovias BR-376, PR-444 e BR-369 ao norte, até Rolândia; a BR-376, a noroeste, que liga a Paranavaí (e um trecho de oferta de 70 quilômetros, sem cobrança de tarifa, até Nova Londrina); e a PR-317, BR-158 e BR-369 Sul, em direção a oeste, cujo limite é Cascavel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário