sábado, 1 de outubro de 2011

Sciarra defende mobilização contra recriação da CPMF

O deputado federal Eduardo Sciarra manifestou nesta sexta-feira (30) apoio à retomada do movimento “XÔ, CPMF!” que, em 2007, derrubou no Congresso Nacional a cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira, imposto que era cobrado nas transações com cheques. “Ao contrário da mobilização anterior, desta vez a disposição é impedir a recriação do imposto”, explicou. Sciarra foi coordenador da campanha no Paraná.


Em pronunciamento na Câmara dos Deputados, durante esta semana, Sciarra destacou que federações da indústria e comércio, além das câmaras de dirigentes lojistas, estão organizando a retomada do movimento. “Esta é a primeira reação à declaração da ministra Ideli Salvatti, no último domingo, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, de que o governo irá recriar a CPMF – seja como CSS ou qualquer outra denominação – caso o Senado aprove a Emenda 29”, disse.

A Emenda 29, aprovada na Câmara na semana passada, estabelece os índices mínimos de investimentos em saúde dos governos federal, estaduais e municipais. Para Sciarra, mesmo que recrie a CPMF, o governo não contará com o apoio da sociedade. “É uma infeliz decisão que certamente receberá resposta à altura da sociedade, que não merece sustentar as obrigações governamentais para as quais já existem recursos suficientes”, disse.

Para o deputado Eduardo Sciarra, o apoio popular pelo fim da CPMF se deu em função da “inequívoca constatação de que o dinheiro arrecadado não chegava à área da saúde”. “Por isso, afirmar que com a queda da CPMF foram retirados 40 bilhões de reais da saúde é uma falácia. Este dinheiro todo de fato nunca chegou integralmente à saúde”, afirmou. “A Emenda 29 não cria despesas mas apenas define o volume de recursos a serem destinados para a saúde”.

André NishizakiAssessor de imprensa
(41) 3029-2530

Nenhum comentário:

Postar um comentário