segunda-feira, 27 de junho de 2011

Evento da Saúde apresenta programa HOSPSUS para prestadores e municípios

SA secretaria de Estado da Saúde apresentou nesta quarta-feira (22) as linhas gerais do Programa HOSPSUS para 41 hospitais paranaenses, FEMIPA – Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes, COSEMS – Conselho de Secretários Municipais de Saúde e secretários da saúde de sete municípios de gestão plena. O programa será lançado no dia 13 de julho pelo governador Beto Richa e se propõe a reestruturar o sistema hospitalar do estado de forma a ter hospitais qualificados em todo Paraná. Através do HOSPSUS a Sesa destinará recursos para hospitais públicos e filantrópicos que sejam social e sanitariamente necessários no estado.

Durante todo o dia, o grupo pôde conhecer as propostas do programa e o termo de compromisso que deverá ser assinado entre o governo do Paraná, através da secretaria da Saúde, e os hospitais.

Na abertura do encontro, o secretário Michele Caputo Neto relatou ter visitado diversos hospitais estratégicos do estado, mas que, no entanto, nunca receberam recursos do governo estadual. “Os hospitais que estão aqui para esta primeira fase são unidades estratégicas identificadas por nossa equipe. Se aderirem ao programa, receberão neste primeiro momento recursos para custeio, mas o objetivo é que também façamos investimentos em obras e equipamentos para termos no Paraná uma rede qualificada de hospitais”. Segundo ele, os três hospitais universitários, de Londrina, Maringá e Cascavel, estarão no programa, assim como hospitais municipais e filantrópicos que dão respostas às necessidades da população.

O diretor geral, Rene Santos, ressaltou a importância de implantar o programa em todas as regiões do estado e falou da estruturação das redes de atenção no Paraná. “Desde o início do ano temos feito reuniões de planejamento onde montamos nosso mapa estratégico, que define as propostas desta gestão para a saúde do Paraná”, disse. A secretaria estabeleceu cinco redes prioritárias – materno-infantil, urgência e emergência, saúde mental, atenção à saúde do idoso e da pessoa com deficiência. Os hospitais deverão atuar de forma a atender essas redes prioritárias, por isso a importância de sua qualificação.

A superintendente de gestão em saúde, Márcia Huçulak, relatou a origem da ideia do HOSPSUS. “Conhecemos o PROHOSP do governo mineiro e tivemos apoio para aperfeiçoar aquilo que já foi testado em Minas Gerais”. Segundo ela, ainda durante a campanha eleitoral a equipe do secretário Michele pôde fazer um diagnóstico da situação da saúde do Paraná e percebeu que a assistência hospitalar é um dos gargalos a serem trabalhados. Por isso o programa já estava definido na proposta do então candidato Beto Richa e agora se confirma como um programa de governo que deverá ser trabalhado durante toda a gestão.

Nesta primeira fase, o governo do Paraná investirá mais de R$ 20 milhões em custeio, R$ 15 milhões em obras e equipamentos e R$ 1 milhão em capacitação. Os hospitais que aderirem ao HOSPSUS terão acesso a uma parceria estabelecida para capacitar gestores e profissionais de saúde em gestão hospitalar, trauma e obstetrícia.

Os hospitais convidados para conhecer as regras do novo programa terão até o dia 08 de julho para confirmar sua adesão. No dia 13 de julho, durante a cerimônia de lançamento do HOSPSUS com o governador Beto Richa, serão assinados os termos de adesão.

“Espero que todos os hospitais convidados a participar deste programa confirmem sua adesão no dia 13, porque assim estaremos iniciando uma nova fase de parceria que resulta em mais e melhor saúde para nossa população”, finalizou Caputo Neto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário