sexta-feira, 15 de abril de 2011

Uso prolongado de ecstasy pode causar danos cerebrais

Pesquisadores descobriram que o uso da droga pode causar uma redução do hipocampo, uma importante estrutura cerebral.

Em um experimento, foram recrutados 10 homens em uma média de 25 anos de idade que eram usuários de ecstasy a logo prazo. Foram recrutados também sete homens em uma média de 20 anos de idade que não usavam a droga. Apesar de o grupo dos usuários de ecstasy ter reportado usar mais cocaína e anfetaminas, os participantes de ambos os grupos afirmaram consumir álcool regularmente e em geral usaram drogas recreacionais similares. Os usuários de ecstasy não o consumiam há pelo menos dois meses antes de o estudo ser iniciado. Em média, eles disseram ter consumido 281 comprimidos da droga em seis anos e meio.

Através de ressonâncias magnéticas, os pesquisadores mediram o volume do hipocampo de todos os participantes. No grupo de não-usuários, o hipocampo era 10,5% maior. Os cientistas acreditam que os efeitos do ecstasy podem não afetar somente o hipocampo, já que os testes mostraram que a proporção geral de massa cinzenta dos usuários era 4,6% mais baixa.

A descoberta é preocupante. A atrofia do hipocampo é um problema sério e é identificada como um dos sinais de doenças que causam a debilitação progressiva das habilidades cognitivas da pessoa, como o Alzheimer.

“Já que o hipocampo desempenha um papel essencial na memória a longo-prazo, as descobertas são de interesse particular em vista dos vários estudos (anteriores) que mostram que usuários de ecstasy mostram deterioração de memória, mesmo que a performance deles em outros testes cognitivos seja geralmente normal” explica o estudo.

A pesquisa foi publicada no Journal of Neurology, Neurosurgery and Psychiatry.

OBID Fonte: WebMD 7 de abril de 2011
por Consultório de Psicologia Popular no PRÓ VIDA 

Nenhum comentário:

Postar um comentário