terça-feira, 5 de outubro de 2010

eleger um deputado em Sarandi, um sonho muito distante

Sarandi não só deslancha politicamente a nível estadual ou federal em virtude de sermos “eternos” refém de “caciquismo partidários”, bem como “engessam” qualquer iniciativa política em “dar luz” a esta “lanterna dos afogados” frente aos caudilhos da classe política local no sentido de priorizar candidaturas forte com reduzidos candidatos para os eleitores locais os elegerem.


Isto só se repete, essencialmente, porque não aprendemos a reformatar as frágeis e viciadas coligações políticas para que se desviem de grupos políticos, cujos interesses não são nada condizentes com aquilo que os sarandienses merecem em termos de representatividade.

É nesta reflexão que mais uma eleição se virá, e nenhum representante genuinamente sarandiense estará lá nas assembleias nos representando e lutando pelos interesses de um povo.

Ou seja, simplesmente porque não aprendemos a lição de nossa instrutiva história que nos revela que a quantidade de candidatos trará apenas uma qualidade em debates - se é que haverá - e não haverá eleitos, novamente, que nos representem politicamente. A não ser que se institua o “Voto Distrital”.

Portanto, de nada adiantará, dividir os votos locais pela ação das múltiplas candidaturas. Estaremos assim, apenas contribuindo para permanência dos mesmos “de fora” alimentados pela histórica “desarticulação” e submissão aos jogos do poder através de mecanismos vis de politicagem barata modulados por trocas de favores cooptativas levando Sarandi, cada vez mais, para o "ostracismo político".

DR. Allan Marcio


Nenhum comentário:

Postar um comentário