quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Economia Solidária em Sarandi...Um nova dinâmica na Inclusão Produtiva..

Economia solidária é uma forma de produção, consumo e distribuição de riqueza (economia) centrada na valorização do ser humano e não do capital.
Tem base associativista e cooperativista, e é voltada para a produção, consumo e comercialização de bens e serviços de modo autogerido, tendo como finalidade a reprodução ampliada da vida.

Preconiza o entendimento do trabalho como um meio de libertação humana dentro de um processo de democratização econômica, criando uma alternativa à dimensão alienante e assalariada das relações do trabalho capitalista.

Em Sarandi, primeiro foram as Hortas Comunitárias e Escolares, uma iniciativa da Prefeitura Municipal sob a Coordenação do Sr. Carlão da ONG, onde se “incluiu produtivamente” cerca de 253 famílias cadastradas na Secretaria de Assistência Social de Sarandi organizada sob esta ótica da “Economia Solidária”.

Pelo visto a “comunidade” entendeu o recado e perceberam que não precisam do “peixe”, mas aprender a “pescar” ganhos sociais através da organização e estruturação de “grupos comunitários” de economia solidária nos próprios bairros diversificando a capacidade produtiva.
leia mais

Neste contexto, formatou-se um Grupo de cidadãos (ãs) (15 ao todo), num Projeto Piloto de Economia Solidária no Bairro dos Jardins das Torres, Sarandi, trabalhando, em caráter experimental, em “Produtos e Materiais de Limpeza Artesanais” sob a iniciativa e Coordenação do Sr. Valdemar Pepino e da Sra. Rosana Malaquias da Silva.

Estas linhas de trabalho são motivadas pelas diretrizes da Política Nacional de Assistência Social em relação à geração de renda com inclusão produtiva exercida através da Economia Solidária sob o assessoramento da A.R.A.S. (ASSOCIAÇÃO DE REFLEXÃO E AÇÃO SOCIAL) filiada a Cáritas Brasileira da Igreja Católica.

A Paróquia Nossa Senhora da Esperança em Sarandi pastorada pelo abnegado Pe. Décio com base no tema da Campanha da Fraternidade 2010, "Fraternidade e Economia" com o lema "Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro" estão viabilizando Recursos Financeiros na ordem de R$ 4.800,00 para alavancar operacionalmente o citado Projeto de Economia Solidária nos bairros.

Estes recursos serão empregados após analise por parte equipe de assessoramento da ARAS, donde se debaterá com os idealizadores e responsáveis na comunidade sobre a dinâmica das necessidades urgentes e futuras no deslanchar do projeto social.

Assim, nos diálogos iniciais a própria Igreja Católica do Jardim Esperança, disponibilizou recursos próprios, ao em torno de R$ 400 para a compra dos materiais de produção (Soda, Vasilhames, adequação da infra estrutura, etc) num primeiro momento.

Portanto, as ações e atividades reorganizadas sob o conceito de “economia solidária” em Sarandi são incipientes, porém bastantes promissoras, principalmente quando se ataca de frente a grande exclusão social local, pois segundo levantamentos do Cadastro Único há mais de 5 mil famílias dependentes dos Recursos do Bolsa Família.

Enfim, estas iniciativas integradas com a comunidade de promover o seu resgate social com dignidade e geração de renda propiciaria através de uma ação articulada junto com as lideranças sociais e políticas da cidade uma melhor equalização na questão da dívida e justiça social tão faltosa à nossa comunidade sarandiense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário